Avaliação Cinésio-Funcional


A atividade natural ou característica de um órgão é o que chamamos de função, ou seja, é o papel que aquele determinado órgão tem de desempenhar ou cumprir. Quando ele não está funcionando de forma adequada, algo está errado, obviamente. E é possível quantificar de forma objetiva esse déficit. É para isso que existe a Avaliação Cinésio-Funcional.

Com a Avaliação Cinésio-Funcional associada a exames clínicos e de imagens, a equipe multidisciplinar do Instituto Wilson Mello, composta por médicos, fisioterapeutas e educadores físicos, avalia, quantifica e qualifica as condições do paciente, postergando, por exemplo, uma prótese de joelho por vários anos.

A avaliação é usada também como critério de alta fisioterapêutica ou para quantificar a performance de um atleta. Essa é uma ferramenta de alta confiabilidade no auxílio para a tomada de decisão clínica e direcionamento do melhor tratamento para os pacientes.

Vantagem para o paciente
Para o paciente, realizar a Avaliação Cinésio-Funcional traz como grande vantagem a especificidade do tratamento, porque ele recebe um protocolo de cuidados extremamente personalizado e específico para seu caso. E ainda tem o benefício de conseguir comparar a evolução e a melhora do tratamento e da performance, uma vez que a avaliação é feita no início, no meio e no final, antes de receber alta ou encerrar um treinamento.

Vale lembrar que é preciso aderir ao tratamento proposto, inclusive com mudança de hábitos alimentares para perda de peso, quando for o caso, e programas de exercício físico específicos.

Como é feita
A avaliação funcional é realizada individualmente por um fisioterapeuta e inclui a história clínica do paciente e testes para verificar diversos aspectos clínicos e funcionais relacionados à sua condição, como testes de função e força muscular, de performance e de atividades de vida diária, além de questionários específicos relacionados à patologia e à saúde mental. Todas essas informações são correlacionadas à patologia e à clínica do paciente para que então seja emitido um laudo para direcionamento específico do tratamento.

Todo o processo demora mais ou menos 90 minutos e o resultado pode sair na hora ou em até dois dias, dependendo do caso. Com os resultados obtidos, o médico e o fisioterapeuta podem direcionar o tratamento e criar metas objetivas para determinar a evolução do paciente, tornando o processo mais rápido e efetivo.

Para que serve
A avaliação funcional pode ser utilizada em duas frentes: para patologias e alterações do sistema musculoesquelético, como lesões ligamentares, lesões degenerativas, artroses, lesões musculares, pré e pós-operatórios onde as articulações de joelho, ombro, tornozelo e coluna estão entre as mais afetadas; e também é recomendada para melhora de desempenho e especificidade de treino em atletas profissionais ou não.

O Instituto Wilson Mello utiliza a Avaliação Cinésio-Funcional desde 2009 e tornou-se referência nesse tema, contribuindo de forma muito eficiente para o diagnóstico e o tratamento de pessoas com lesões ortopédicas e também para a melhora da performance de atletas. O IWMello, inclusive, já desenvolveu pesquisas sobre o tema.

Estudos científicos
Para os casos de artrose de joelho, há um estudo realizado em parceria com a USP Ribeirão Preto e publicado em uma das revistas de maior impacto na Fisioterapia, no qual foram catalogados o perfil dos pacientes com artrose de joelho e que foram submetidos à ATJ (Artroplastia Total de Joelho). Através de estudos como este, o ortopedista possui mais um parâmetro de comparação e segurança para a indicação do tratamento mais efetivo, podendo ser cirúrgico ou não.

Instituto Wilson Mello
Os fisioterapeutas Felippe Ribeiro e Eduarda Ferreira discutem laudo de avaliação funcional
Instituto Wilson Mello
O exame de baropodometria avalia desequilíbrios posturais e pontos de hiperpressão nos pés
Instituto Wilson Mello
O Ybalance teste avalia controle motor e predisposição para lesões dos membros inferiores
Instituto Wilson Mello
O teste de força isométrica do quadril ajuda a verificar déficits
Instituto Wilson Mello
A dinamometria isocinética é um dos testes que compõem a avaliação funcional e serve para quantificar os déficits de força muscular